Consultas Poéticas

Como Pessoa, Cosmogama acredita que a poesia pode curar todos os males.

Como é que está? E se esta pergunta fosse o início de um momento suspenso na corrida dos dias, uma abertura benfeitora no seu quotidiano? O poema é um medicamento, murmurar-lhe-á o poeta-médico que irá acolher-lo/la, de bata branca, como deve ser, para uma consulta poética a sós. Dizer um poema é cuidar com palavras, com sons e com imagens. Ouvi-lo é aceitar o penso que lhe dão. Venha sentar-se alguns minutos à sombra de Bonnefoy, Plath ou Brautigan, Prévert ou Chédid. Deixe-se levar. É um parêntese de delicadeza que se abre à sua frente, é um penso de versos livres que colocamos para os males do presente.

As Consultas Poéticas, inventadas por Fabrice Melquiot há quase 20 anos, são desde então retomadas e declinadas em todo o mundo.

Mas a versão original está no Cosmogama.